Diretor do Boavista defende elenco e desabafa: “Ninguém está acabado”

17/02/2017 - Reportagem: Globoesporte.com


Thiago Alves tem vasta história com o Boavista (Foto: Divulgação)

Após o início ruim do Boavista no Campeonato Carioca diante de toda expectativa criada por conta dos investimentos feitos, o Verdão de Saquarema foi valente no jogo desta quarta-feira contra o Ceará e conseguiu o maior feito da sua história. O time de Bacaxá eliminou o Vozão da Copa do Brasil com gol nos acréscimos e avançou pela primeira vez no torneio nacional com a vitória por 1 a 0, no Elcyr Resende. Ao fim da partida, o diretor de futebol do clube, Thiago Alves, abriu o coração e desabafou sobre as críticas que o time recebeu por contar com nomes experientes e que estavam “esquecidos” no futebol como o técnico Joel Santana e o goleiro Felipe.

– São jogadores de qualidade, não estamos falando de um elenco qualquer. São campeões brasileiros, campeões de Copa do Brasil, campeões estaduais. Eles têm história e não podemos esquecê-la. Me perguntaram o motivo de ter trazido o Joel. O Joel é o Joel Santana por si só. Ninguém está acabado, ninguém está no ostracismo e não esquecidos não. É um cara estudioso, é um cara que entende, conhece os jogadores – declarou o dirigente, completando.

– O Brasil tem que parar com isso de “não está na moda, não está em foco, está acabado”. Está em foco, sim. Temos que parar com essa demagogia, com essa hipocrisia de pensar que os profissionais por estarem desempregados, por estarem em casa, desaprenderam. O Felipe não desaprendeu a agarrar. O Antônio Carlos não desaprendeu a jogar. São grandes jogadores, grandes atletas e que precisam jogar para ganhar confiança. O Boavista ainda vai dar muito o que falar. Temos um time, temos um elenco que vai dar certo – declarou.

Muito identificado com o Verdão de Bacaxá, clube que também atuou como jogador, Thiago Alves não escondeu a emoção ao descrever o que sentiu após o apito final. De acordo com o dirigente, um novo capítulo começa a ser escrito pelo clube a partir deste jogo.

– É uma sensação indescritível para mim, que estou aqui desde a época de jogador. Hoje vou para casa em êxtase, não só pelo lado profissional, mas pelo lado do coração também, quem vê esse clube, desde lá do começo, fazendo um trajeto, tendo uma ascensão no cenário nacional, que é muito importante. O Boavista está sendo visto e essa classificação carimba isso. É um marco histórico, que nunca havia acontecido, nunca tínhamos passado para a segunda fase, mas isso aconteceu hoje. É uma página na vida do Boavista que está começando a ser escrita.

Ao comentar sobre o futuro do Boavista na Copa do Brasil, o dirigente, no entanto, conteve a euforia e preferiu manter os pés no chão para não atropelar etapas.
– Eu procuro não pensar no futuro e pensar no hoje. Chega uma hora que terão jogos de ida e volta. É uma competição totalmente diferente, tem que ir passo a passo. Temos que ter todo o foco agora no Carioca, no jogo contra o Botafogo. É um gigante, vai ser um jogo dificílimo. Eles têm um grande elenco, um grande time. Vamos estar jogando na nossa casa, com a nossa torcida. Vamos procurar fazer uma boa partida. Temos que subir degrau a degrau, mas aonde vamos parar, eu não sei. Mas a expectativa é procurar melhorar a cada partida – concluiu Thiago.

Com quatro pontos em quatro jogos, o Boavista volta a campo pelo estadual neste domingo, às 17h, para encarar o Botafogo, no Estádio Elcyr Resende, em Bacaxá. Pela Copa do Brasil, a equipe vai enfrentar a Portuguesa, dia 22 de fevereiro, no Estádio Canindé, em São Paulo.

Últimas notícias do BoaVista...