Boavista vira e vence na estreia

21/01/2019 - Reportagem: Globoesporte.com


ento, estrutura boa, é a vez do Boavista ser a famosa quinta força. É o atual vice-campeão da Taça Guanabara, e mais uma vez trouxe jogadores conhecidos para o Estadual, tipo Rafael Marques, Tartá e, em especial, Carlos Alberto.

Este, a estrela da companhia, não estreou porque precisa se recondicionar depois de um ano e meio parado. Foi o jogo que encerrou a primeira rodada do Carioca, que comentei para o GloboEsporte.com, ao lado do Bernardo Edler, Boavista e Resende. Depois de um primeiro tempo muito confuso, o Boavista melhorou no segundo, virou para 2 a 1 e saltou na frente do grupo, ao lado de Flamengo e Cabofriense.

Mesmo sem estrelas, o Resende está um ou dois passos adiante em termos de preparação, até porque disputou uma seletiva classificatória – que venceu de modo invicto, em primeiro lugar. E confirmou essa condição fazendo 1 a 0 aos 6 minutos com Maxwell, de cabeça – ele já havia feito dois na Seletiva. O Resende continuou dominando, embora sem grandes situações para ampliar.

O Boavista não conseguiu se articular, e ficaria em situação difícil se fosse perdendo para o vestiário. Mas no último lance da primeira etapa, o lateral Jeanderson deixou Arthur Rezende chegar numa bola perdida, o goleiro Ranule deixou a bola passar por baixo dele, e Renan Donizete (filho do Pantera Donizete) empatou.

Gol decisivo, porque motivou o time da casa, que dominou o segundo tempo. O Resende voltou sem Vitinho, que controlava o meio-de-campo, e a coisa desandou para os visitantes. O golpe de misericórdia deu-se aos 27. Arthur Rezende puxou o contra-ataque e tocou a Felipe Augusto (que havia entrado no segundo tempo). Ele dominou na entrada da área e acertou uma bomba indefensável.

Pelo que jogaram Fla, Cabofriense, Boavista…e Resende, é bom o Botafogo e o Bangu abrirem rapidamente os olhos.